quarta-feira, 12 de março de 2014

Entrevista: com Alexandre Tigano

Entrevista com o Ator Alexandre Tigano

Ator Alexandre Tigano - A Vida em JogoAtor Alexandre Tigano - A Vida em Jogo

Hoje posto uma super entrevista que tive o prazer de fazer com o ator Alexandre Tigano, um grande ator que já participou de filmes como “Crô – O Filme”, “Colegas” e peças como “Disney Killer”, “Um Cruel” entre várias outras.

Espero que gostem de conhecer também um pouco mais sobre a vida pessoal do Alexandre Tigano, um cara simpático, talentoso e muito atencioso. 

Blog - Vamos primeiramente, como de costume nas minhas entrevistas, relembrar o início de tudo. Como surgiu essa vontade de atuar? A sua família te apoiou no momento em que você decidiu seguir esta profissão?
Alexandre Tigano - Fui assistir à peça “Visitando Sr. Green“, com o Paulo Autran. Nunca havia visto Paulo Autran no palco, e percebi que demorei muito, nem sei porquê, e me arrependi de tudo o que não havia visto dele. Achei maravilhoso, ele interpretava com a alma, e muita paixão. Ele dominava o palco, e é bonito ver alguém que sabe que aquele é o seu lugar. Ele achou o dele! Mas logo em seguida, ao sair da sala do teatro, chegamos juntos à escada rolante, e ficamos cara-a-cara, só nós dois. Aí não teve jeito, me apresentei e conversamos por um tempo. Fiquei surpreso de ele ter me dado tanta atenção, e entre os conselhos, teve um muito engraçado, que eu não esperava ouvir: “Seja ‘entrão’ , cara de pau mesmo… bem, pelo visto, você leva jeito!” Com essa, ele me convenceu! (risos) Mas, brincadeiras à parte, depois de vê-lo no palco e de tudo o que ele me falou, descobri que queria ter aquele lugar pra mim também. Queria ser ator. E, em relação à segunda pergunta,sim meus pais sempre me incentivaram. No início me apoiaram por ser algo que eu gostava de fazer, mesmo no início, quando o “ser ator” ainda não significava uma profissão, um ganha-pão. Mas quando decidi mesmo, eles acreditaram no meu potencial, me apoiaram e até hoje assistem a todos os meus trabalhos, e, principalmente minha mãe, faz a função dela, que é a de elogiar sempre (risos).
*Publicidade Nissan

Blog - Em cinema, você participou recentemente de  filmes nacionais de grande repercursão, como por exemplo, “Crô – O Filme”, do Diretor Bruno Barreto, e “Colegas”. Como é para você atuar  no cinema? É mais difícil do que em peças teatrais e novelas?

Alexandre Tigano - Verdade... esses filmes tiveram muito destaque em 2013. “Colegas” levou diversos prêmios, incluindo o Kikito de Ouro em Gramado; “Crô – o Filme” tinha só feras: escrito por Aguinaldo Silva, dirigido por Bruno Barreto arrastou uma multidão para o cinema, com um elenco excelente e equipe técnica ultra profissional.
Além destes, fiz outros longas-metragens e muitos, muitos curtas-metragens, que me deram oportunidade de “treinar” para os longas-metragens. Entre os que já gravei, há ainda um que vai ser lançado em breve, chama-se “Tríade”, do diretor Amilcar Claro.
A pergunta sobre a diferença entre os veículos é típica, recorrente... (risos). Acho que é por que ela é complexa, e não há uma resposta única. É difícil para o ator comparar o quanto ele gosta, o quanto pode ser difícil cada um. É claro que o ator tem que usar diferentes recursos, mas os fundamentos para uma boa atuação são os mesmos, o ator tem que estar presente naquele momento e ter o entendimento intelectual, sensorial e emocional. O resultado final pode depender em maior ou menor grau do veículo. No teatro, é você (o ator) e a plateia, o resultado depende muito do ator, do que ele é capaz de fazer naquele momento vivo. Na tv e no cinema, a sua atuação praticamente pode ser construída na sala de edição...(risos) É claro que depende de muito mais fatores, mas basicamente muda muito o controle que o ator tem sobre o resultado final. Quando penso em grau de dificuldade para o ator, associo mais à complexidade do personagem e da história, e menos no veículo. De qualquer forma, é bom problematizar as coisas, fugir da zona de conforto: ator preguiçoso, “tarefeiro” é muito chato!!! Gosto de surpreender, prefiro pecar pelo excesso. Sou adepto do “Axé Action”, como diz o Wagner Moura (risos).

Ator Alexandre Tigano - A Vida em Jogo
* Gravação do Filme "Crô"

Blog - Nos palcos você também já participou de diversas peças Teatrais, como por exemplo “Disney Killer”, “Um Cruel” e “Outsiders - Os Excluídos de Williams”. Acompanhei a apresentação de Disney Killer e achei a peça muito marcante, com um enredo que prende a atenção, o texto envolvente. Como foi fazer o personagem Pitchfork Cavalier? Um personagem que, admito, dava medo de ver em cena. ( risos ). Dentre todas as peças que você já fez qual foi a mais marcante na sua carreira?

Alexandre Tigano -  É difícil escolher a mais marcante, cada uma deixou uma marca diferente, que me fez crescer.
“Outsiders – Os Excluídos de Williams“, da obra de Tennessee Williams, foi meu projeto mais pessoal. Neste projeto, além de atuar, também produzi, opção que pode ser um pouco estressante, mas que também pode dar ao ator a oportunidade de experimentar e de escolher seus papeis e projetos. Quem dirigiu foi a Simone Sallas, minha esposa, então vivemos intensamente este projeto, não tinha esse negócio de não levar trabalho para casa (risos). No meio disso tudo tivemos nossa primeira filha, e quando ela fez um ano e meio estreamos.  Nós escolhemos o tema, as histórias que queríamos contar, eram peças curtas, partimos do original em inglês, traduzimos e chegamos a um resultado que nos orgulhará para sempre, pois cada detalhe do projeto foi nossa escolha (e da equipe e elenco que trabalharam conosco). Para o ator, que vive constantemente a expectativa de ser escolhido, a possibilidade da escolha é eletrizante e recompensadora.

Alexandre Tigano - “Outsiders – Os Excluídos de Williams“ - Ator Alexandre Tigano - A Vida em Jogo
Cena de “Outsiders – Os Excluídos de Williams“

“Disney Killer”foi um espetáculo intenso, com texto de Philip Ridley e direção de Darson Ribeiro. Com certeza, tive o melhor nome de qualquer personagem que fiz ou que farei: Pitchfork Cavalier! (risos). Além disso, era um excelente personagem, complexo, para o qual tive que fazer um trabalho corporal forte e intenso; meu desafio era humanizar uma fera, que era explorada por seu parceiro e obrigado a "performar" em seu “Horror show”.
Disney killer me deu muitas alegrias e me rendeu boas críticas, além disso foi a peça que fiz que teve maior visibilidade nacional,viajamos  bastante, apresentamos aqui em São Paulo no Sesc Pompéia , fizemos uma temporada no Teatro Sérgio Porto no Rio de Janeiro ,estivemos no FILO(Festival Internacional de Londrina), fizemos algumas apresentações em Curitiba e voltamos para São Paulo onde ficamos por mais uma temporada no Centro Cultural São Paulo.

  *Crítica sobre “Disney Killer” - Clique para ampliar

A peça Um Cruel de Raphael Ramos foi uma breve e excêntrica experiência que tivemos no Festival das Satyrianas (tradicional festival de cultura da cidade de São Paulo organizado pelo Grupo Satyros) , com o mesmo elenco e direção  de “Disney Killer”: Darson Ribeiro, Juliana Calderon, Dan Nakagawa e o ator Convidado Duda Mamberti.
Meu personagem era Fábio, um michê de luxo,que sofria crueldade psicológica do pai de sua namorada, papel de Duda Mamberti, excelente e generoso ator.

Alexandre Tigano com Duda Mamberti
 *Alexandre Tigano com Duda Mamberti

Um Cruel - Ator Alexandre Tigano - A Vida em Jogo
*Peça “Um Cruel"
Um Cruel - Ator Alexandre Tigano - A Vida em Jogo
*Alexandre Tigano com Raphael Ramos, Darson Ribeiro,
Dan Nakagawa, Duda Mamberti, Juliana Calderón e Luccas Papp

Blog - Em televisão você já teve experiências em novelas, séries e em publicidade. Como é participar do mundo “televisivo” onde muitas pessoas sonham em estar e trabalhar?  É realmente difícil, como todos falam, entrar neste "mundo" da televisão?

Alexandre Tigano - Gostei de você ter usado a palavra mundo, por que é e não é isso. Não é o que as pessoas pensam, que um dia irão para este mundo da felicidade, das celebridades e lá serão felizes para sempre, em que tudo é glamour e que tudo vem fácil. O que eu vi foi que, mesmo atores experientes tem que correr atrás para se manterem ágeis e prontos para os desafios que se apresentam incessantemente. Já vi o Miguel Falabela dizendo várias vezes que há o ator e o “artista de televisão”. Talvez alguns destes últimos, nunca almejem se tornarem atores, e não precisem nem fingir que gostam de ler, mas acredito que o mercado pode ter lugar para todo tipo de profissional, mas que as melhores histórias precisam de atores de verdade.
O que também tem acontecido é que como a TV é uma indústria, a produtividade exige agilidade e precisão. Dentro disto, a escolha dos atores fica cada vez mais calcada em rótulos, e fico feliz quando vejo atores que superam os rótulos que lhes foram impostos, pois eu tenho quase 2 metros de altura, então quando pensam: “Quem vai ser o cara que vai ameaçar o Murílo Benício na cena da morte da personagem da Juliana Paes (em “a Favorita”)? Pois é, daí, lá vou eu, fazendo os valentes, os fortões, os deuses gigantes (risos)... Mas não subestimo nenhum personagem, em todos vejo oportunidades de mostrar o ator que sou, e, é claro, de melhorar meu network, mostrando profissionalismo e disponibilidade para realizar papeis cada vez mais desafiadores.

José do Egito - Rede Record- Ator Alexandre Tigano - A Vida em Jogo
*Bastidores da Minissérie José do Egito da Rede Record

Blog - Mudando de assunto, você é casado com a atriz Simone Sallas e também já é pai de duas garotas. Como as suas filhas, apesar de pequenas, enxergam essa sua profissão? Muitas vezes, a profissão de ator, faz com que o ator tenha que se afastar um tempinho da família, como você concilia as agendas?

Alexandre Tigano - Tenho uma filha de 7 anos e uma de 3 anos com a Simone. As meninas se divertem vendo meus trabalhos, mas não as deixo ver tudo, alguns são um pouco violentos. Para elas foi o máximo quando participei de “Carrossel” (risos) no SBT. Desde pequenas elas já iam aos ensaios, às vezes ensaiamos em casa, passamos o texto um com o outro, elas veem isso como algo normal, devem achar que em toda casa é assim (risos). Como minha mulher é atriz e então nossos dilemas e necessidades são parecidos, durante os trabalhos dela eu cuido das meninas e vice-versa. Eu sou prendado, sou o “chef de cuisine” lá de casa, gosto de cozinhar (às vezes preciso ficar com o texto ali do lado...). Mas quando se trata de cuidar das meninas, por mais que eu me esforce, sempre ela vai ver um defeito, essa especialidade é dela...já aprendi que toda mãe é assim, “perfeitinha” (risos).
Mesmo quando estamos longe, como agora, por exemplo, conversamos muito, não falta assunto nunca: só sobre as crianças e sobre cinema podemos falar horas. Recentemente ela me presenteou com um pen drive com uma seleção de uns dez filmes recentes, que eu não estava tendo tempo de ver. Antigamente as pessoas gravavam aquelas fitas com músicas e presenteavam... essa é a nossa versão da boa e velha “mixed tape” (risos)

Carrossel - SBT- Ator Alexandre Tigano - A Vida em Jogo
* Alexandre Tigano na novela “Carrossel”

Blog -  Encerrando a nossa entrevista, gostaria de saber se você está envolvido em algum projeto futuro que pode adiantar para nós? Alguma novidade que vem por aí e que você pode nos contar em primeira mão?

Ator Alexandre Tigano - A Vida em JogoAlexandre Tigano - Uma peça que está prevista  para o segundo semestre deste ano com direção de Darson Ribeiro, mas não posso falar muito ainda, pois a peça esta num processo de maturação e captação de recursos. No entanto posso adiantar que é um drama com a mesma pegada de Disney killer,e é  uma peça forte de um grande autor irlandês.
Estou bastante animado, ainda tenho muito a realizar nesta vida.


 Blog - Deixe por gentileza, uma mensagem para os leitores do blog:

Alexandre Tigano - Não tenho uma frase pronta, mas gosto de algo que vi um dia e nunca mais me esqueci: o que te faz feliz nunca vai estar na sua zona de conforto. Sempre me lembro disso, pois se surge algum contratempo, algum desconforto, sei que é porque estou correndo atrás, e assim, consigo curtir até as batalhas do dia-a-dia. E quando eu erro, não fico remoendo, mas também não quero esquecer, pois eu uso isso para aprender o que eu não devo fazer. Esse negócio de “eu só vou ser feliz quando eu tiver tal coisa, quando eu for tal coisa” não funciona comigo, isso para mim é adiar a felicidade. Se eu não gostasse do meu dia-a-dia de ator, escolheria outra profissão. Não vou ser feliz só quando ganhar o Oscar (risos).


Ator Alexandre Tigano - A Vida em Jogo
Jogo Rápido com Alexandre Tigano

Uma comida: Salmão Grelhado
Uma bebida: vinho tinto
Uma música: “ElephantGun”
Uma banda: Beirut
Um ator/uma atriz: Daniel Day-lewis
Um espetáculo: Otelo
Um ídolo: Marlon Brando
Um sonho: Viver da arte de ser ator
Um animal: Leão
Uma qualidade: Tenacidade
Um defeito: Ansiedade extrema
Você é alguém que: É bem-humorado
O amor é: Querer o maior bem do mundo
Ser ator é algo: Transcendental
Minha família é: O meu amor, essencial  para minha existência

Para finalizar agradeço ao Alexandre Tigano pela disponibilidade da entrevista, e por toda receptividade e atenção dada. Desejo muito sucesso para você e sua família, você merece todo o sucesso que tem conquistado.

Confira agora vídeos selecionados referentes a alguns dos vários trabalhos realizados pelo ator Alexandre Tigano:








A vocês leitores, em breve volto com mais uma entrevista.
E até lá, acompanhe as nossas dicas culturais e ajude na seção "Procura-se", sobre pessoas desaparecidas.Obrigado, até mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça o seu comentário ! Elogios, críticas e sugestões serão bem vindos ! Obrigado!